Layssa Sá Valente, de cinco anos, morreu na última quarta-feira, 4, vítima de uma forma rara de meningite meningocócica, diagnosticada pelo hospital Hapvida, da BR-316. Ela foi o primeiro caso confirmado da doença em Mosqueiro, distrito de Belém, porém, há pelo menos mais três outras suspeitas. Alessandro de Araújo Ribeiro, 16 anos, morreu na segunda-feira, 2, com sintomas da doença, mas o Centro de Perícias Científicas Renato Chaves descartou meningite, embora o laudo não seja conclusivo. Outro laudo deverá ser liberado entre 29 e 59 dias.

Em nota, a Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) confirmou o caso de meningite em Mosqueiro, onde uma criança de cinco anos, encaminhada da Unidade de Saúde da Baía do Sol, foi atendida no Hospital de Mosqueiro, apresentando febre, vômito e convulsão. “A criança foi transferida para Belém e, por ter piorado o quadro clínico no trajeto e possuir plano de saúde, foi atendida na Unidade de Emergência da Hapvida, na BR-316, onde já chegou sem vida”.

Segundo a Sesma, o corpo foi encaminhado para o Serviço de Verificação de Óbito do Instituto Médico Legal para elucidação diagnóstica, na qual, após exames, foi confirmada como meningococcemia. Após a confirmação, a Vigilância Epidemiológica da Sesma fez investigação no Hospital de Mosqueiro e no domicílio da criança, onde foram aplicadas todas as medidas de controle pertinentes ao caso (quimiprofilaxia dos contatos e orientação à família e aos servidores do hospital).

Fonte: O Liberal

Publicação: Elyon Gomes – Regional Agora

0 comentários:

Postar um comentário

 
Top